Uma rápida introdução às memórias internas (SSD e HDD)

Uma rápida introdução às memórias internas

Apesar de ser essencial para o funcionamento de qualquer computador, o drive interno é um dos componentes mais esquecidos na hora de adquirir um notebook.

A maioria dos compradores prefere dedicar toda a sua atenção (e dinheiro) a componentes mais badalados, como RAM ou CPU. Porém, saber escolher um bom drive interno pode fazer toda a diferença entre dois notebooks.

É por isso que nesta ocasião apresentamos um guia sobre esse componente tão pouco levado em consideração. Como sabemos que informática pode ser um assunto complicado para alguns, tentaremos ser o mais didáticos possível, por isso pedimos desculpas antecipadamente caso leitores mais avançados sintam que estamos indo muito devagar.

Por que é aconselhável substituir seu HDD por um SSD?

A princípio, antes de explicar o que é cada coisa, vamos contar algumas das vantagens mais notáveis que você perceberá ao realizar essa atualização. Uma das características mais óbvias é a melhoria no tempo de resposta, que se deve ao aumento do tempo de leitura e gravação de dados no disco rígido.

substituir seu HDD por um SSD

Com isso queremos dizer que o computador (e especialmente a CPU) leva muito menos tempo para encontrar os dados que precisa. Dessa forma, é possível ter um desempenho geral muito mais eficiente e ideal.

Além disso, os dados são cobertos de forma muito mais eficiente, já que um SSD não possui peças móveis ou mecânicas que possam ser danificadas (causando perda de informação) em caso de impacto ou queda.

Memórias HDD

Comecemos pela tecnologia mais clássica, o HDD. Os discos rígidos HDD foram algumas das primeiras memórias internas a serem usadas em larga escala. Funcionam com discos. A informação é armazenada e lida aqui.

Esse recurso, a presença do disco, é a fonte da maioria das diferenças com a memória SSD. Por um lado, ao girar, o disco emite seu som característico, tornando o HDD um componente muito mais barulhento que o SDD.

Por outro lado, como a leitura da informação é feita fisicamente, o HDD demora mais para arrancar (já que o disco tem que começar a girar) e para procurar pequenos pedaços de informação.

Também é verdade que, entre o disco e o leitor, as memórias HDD possuem mais partes móveis do que as memórias SSD, o que torna mais provável que uma delas se quebre.

Apesar de já ter alguns anos, a tecnologia HDD ainda é difundida. Isto faz sentido se considerarmos que essa tecnologia tem as suas vantagens sobre o SDD: não só são consideravelmente mais baratas, como também podem armazenar uma maior quantidade de informação.

Memórias SSD

Vamos agora passar para as memórias SSD. Essas peças de hardware têm funcionamento totalmente digital. Não existem partes móveis, pois a informação é armazenada em chips de memória.

Isso torna o acesso geral à informação e a inicialização mais rápidos, além de os tornar mais resilientes.

Porém, os SSDs são mais caros que as memórias HDD, o que significa que apesar de serem a opção mais eficiente, ainda estão longe de ser as mais utilizadas.

Também é verdade que, a menos que procuremos um PC de alto desempenho, a diferença entre um e outro não será tão perceptível. Na verdade, quem procura um PC para uso diário provavelmente irá gostar mais da maior capacidade de memória e do menor custo dos HDDs.

O disco rígido afeta o desempenho de um notebook?

A resposta simples é sim, mas a realidade é mais complicada. Se falarmos sobre o tamanho da memória, então não, mais memória não significa melhor desempenho na maioria dos casos.

Há uma exceção: quando a memória do disco está tão cheia que o computador precisa recorrer ao uso de uma parte de outra memória para armazenar arquivos essenciais.

Porém, o que pode fazer a diferença é a tecnologia do disco rígido, o já citado HDD ou SDD. Isso acontece porque ambas as tecnologias possuem velocidades de acesso à informação diferentes, ou seja, a rapidez com que conseguem ler os arquivos armazenados.

Desta forma, uma memória HDD ou SDD de 1 TB será tão rápida quanto um HDD ou SDD de 2 TB (desde que não estejam cheios). Mas da mesma forma, uma memória SSD de qualquer tamanho terá melhor desempenho de notebook do que um HDD, mesmo que este seja maior.

Algumas marcas

Agora que você tem um conhecimento um pouco mais profundo sobre esses componentes, recomendaremos algumas das marcas mais destacadas do mercado.

A primeira da nossa lista é Kingston, que já é um clássico. Fundada há mais de três décadas, essa é uma das empresas de discos rígidos mais antigas do mundo.

Essa marca possui uma grande variedade de drives, sejam HDD ou SSD. Além disso, mesmo entre as duas tecnologias, a Kingston oferece modelos suficientes para se adaptar a qualquer necessidade e bolso.

Dentre todos eles, o SSD SATA KC600 2,5" se destaca como uma das melhores memórias SSD internas do mercado. Possui 2 TB de armazenamento (2000 GB) e velocidade de leitura de 550 MB/s.

Nossa próxima marca é Samsung. Não achamos que uma empresa tão grande realmente precise de uma apresentação. Essa empresa sul-coreana está entre os maiores fabricantes de tecnologia do planeta, sendo topo de gama em praticamente todas as áreas.

Embora não fosse possível falar de todo o seu catálogo em tão pouco tempo, em termos de memórias fixas, um modelo que tem conseguido brilhar é o 980 Pro. Enquanto no lado da memória portátil, o Portable SSD T7 continua sendo um dos principais concorrentes.

Por último, mas não menos importante, temos o Scandisk. Embora essa empresa se destaque principalmente pelas suas memórias USB, é também um fabricante muito destacado de todos os tipos de memórias digitais.

Seu alcance é enorme. A Scandisk conseguiu se posicionar entre os maiores fabricantes de memória SD para smartphones e câmeras, SSDs fixos e portáteis e tudo isso sem contar seus já clássicos pendrives.

Para dar um exemplo específico do que essa marca pode fazer, temos o SSD portátil Extreme PRO. Uma memória portátil com velocidade de leitura de 2 TB e capacidade total de armazenamento de 4 TB.

Com esse último concluímos o artigo. Esperamos que você tenha aprendido um pouco mais sobre esses componentes tão pouco considerados.

Acreditamos que após a nossa explicação, qualquer leitor atento estará mais do que pronto para fazer uma compra inteligente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *